É uma peça/canção que se inspira no amor trovadoresco para dizer a alguém aquilo que queremos ser independentemente daquilo que somos. E depois aquilo que queremos que o outro seja independentemente daquilo que ele é. E, finalmente, aquilo que gostaríamos que a vida fosse independentemente daquilo que está a ser.

Uma canção de amor cantada pelo público e dançada por nós.