“Enquanto a gente vê terra, não tira o olhos — não pode — dum resto de areal, dum ponto violeta que desmaia e acaba por desaparecer na crista duma vaga. Um ponto e acabou o mundo. O nosso mundo agora é outro.”
Raúl Brandão, As Ilhas Desconhecidas.

Inspirados pela viagem de Raúl Brandão ao arquipélago açoriano em 1924, Miguel C. Tavares e José Alberto Gomes viajaram durante 10 dias a bordo do navio de carga “Corvo”, partindo de Lisboa e passando pelas ilhas de São Miguel, Faial, Terceira, Flores e Pico. Com “East Atlantic” apresentam uma peça audiovisual em formato filme-concerto que traduz esse imaginário em imagens e sons, tendo o arquipélago açoriano e a sua condição insular como focos. Num espaço híbrido entre o documentário e o objecto artístico, o trabalho explora e representa o carácter dicotómico insular, tanto sedutor e atraente como prisioneiro e claustrofóbico.

Com estreia no Walk&Talk, o espectáculo será marcado, tanto a nível sonoro como visual, por uma forte componente performativa que tira partido da arquitetura e escala da Black Box do Arquipélago — Centro de Artes Contemporâneas, num ambiente imersivo, incerto e abstracto.